1

1
Painéis de azulejos da Nazaré e Alcobaça na Estação Caminho de Ferro e praça principal, do Valado dos Frades!

terça-feira, 22 de maio de 2012

Paisagem dos Campos de Arroz



Mais uma belíssima paisagem dos campos de arroz do Valado.
Aqui, já o arroz foi transportado para a eira, onde se vai proceder à sua debulha.
É também um momento de grande "agitação" e mobilidade, onde pessoas e máquinas interagem para se conseguir o arroz separado da palha, logo enfardada.
Mas também não podemos deixar escapar a planície, onde ainda é possível encontrar zonas mais alagadas pela água, e que foi o fundo da Grande Lagoa da Pederneira.
A época do arroz no Valado, foi um tipo de vivência novo face ao tradicionalismo do tipo de culturas que até aí se praticava, bem como ao grande "rancho de arrozeiros" vindos da zona de Soure, Guia, Louriçal,...
É caso para concluir...outros tempos...outras pessoas...outras culturas!

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Lagoa Seca



A Lagoa Seca faz parte da história do Valado.
Seca, por oposição à Lagoa Grande, esta sim muito senhora das suas águas perenes.
No entanto, em anos de abundância de chuva, e aproveitando alguma água que também escorreria de terrenos limítrofes, a Lagoa Seca apresentava-se bem "composta" com alguma água.
A imagem que se coloca, refere-se a uma dessas situações, precisamente ao ano de 2001, notando-se alguns pinheiros colocados em plena área inundada.
Certamente que a paisagem era muito mais interessante com água, mas!...
De referir ainda que quando da fundação do Valado Foot-Ball Club, era aqui na Lagoa Seca (bem seca)...que se jogava futebol.
Não era um estádio como hoje o pensamos mas...era um bom estádio!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Diferentes...em quê?


É um problema que hoje estará em vias de extinção.
Tempos houve que assim não era!
...afinal, diferentes...em quê?!

domingo, 6 de maio de 2012

Óscar para Onda Gigante Praia do Norte...Nazaré



Praia da Nazaré recebe "Óscar" de maior onda do ano

A Praia do Norte saltou para a ribalta com o vídeo do surfista Garret McNamara, que surfou uma onda com cerca de 30 metros, aqui.         

A Praia do Norte, na Nazaré, foi hoje galardoada com o prémio de Maior Onda Surfada do Ano, do Billabong XXl Big Wave Awards, uma espécie de óscares do surf.
Na gala desta madrugada, que decorreu no Grove Theater de Anaheim, no Canadá, a organização distinguiu a onda surfada por Garret McNamara, numa iniciativa de promoção à Praia do Norte, registada em vídeo pelo norte-americano.
Em inícios de Novembro do ano passado, McNamara surfou numa onda estimada em cerca de 30 metros, o equivalente a um prédio de dez andares.

terça-feira, 1 de maio de 2012

Borda d´Água - Maio


Maio pardo, ano claro.
Quando a Meteorologia nos informou que choveu mais em Abril que no somatório de Janeiro, Fevereiro e Março...ficamos para ver o que sucederá.
A chuva é como o sal na cozinha...quer-se no momento e quantidade certa!
Os dias continuam a aumentar mais no Porto que em Lisboa!
Dias vividos: 152; a viver: 214!
...Esperemos todos que sim!


 Maio é o quinto mês do calendário gregoriano e tem 31 dias. O seu nome é derivado da deusa romana Bona Dea da fertilidade. Outras versões apontam que a origem se deve à deusa grega Maya, mãe de Hermes.
Sob o Antigo Regime francês, era de costume plantar um " Maio " ou " árvore de Maio " na honra de alguém. No Condado de Nice moças e rapazes « giravam Maio » ao som de pífaro e tambor, ou seja dançar as rondas de Maio ao redor da árvore de Maio.

PROVÉRBIOS POPULARES - MAIO
  • A água que no Verão há-de regar, em Abril e Maio há-de ficar.
  • A erva, Maio a dá, Maio a leva.
  • A melhor cepa Maio a deita.
  • A ti chova todo o ano e a mim Abril e Maio.
  • Abril chuvoso, Maio Ventoso, fazem o ano formoso.
  • Abril e Maio chave de todo o ano.
  • Abril e Maio são as chaves de todo o ano.
  • Água de Maio, pão para todo o ano.
  • Borreguinho de Maio, se to pedirem, dai-o.
  • Chovam trinta Maios e não chova um em Junho.
  • Chuva de Maio faz as novas ranhosas e as velhas formosas.
  • De Maio a Abril há muito que pedir.
  • Deixa lenha para Maio, que a fome de Maio sempre veio e há-de vir.
  • Dia de Maio, dia de má ventura, que ainda não amanhece já anoitece.
  • Dias de Maio, dias de amargura, ainda não é dia, já é noite escura.
  • Diz Maio a Abril: ainda que te pese, me hei-de rir.
  • Do mês de Maio o calor, de todo o ano o valor.
  • Em Abril queijos mil e em Maio, três ou quatro.
  • Em casa vazia, Maio depressa se avia.
  • Em Maio bebe o boi no rego.
  • Em Maio com sono caio.
  • Em Maio deixa a mosca o boi e toma o asno.
  • Em Maio espetam-se as rocas e sacham-se as portas.
  • Em Maio lava-se com a água pelo rego.
  • Em Maio vai e torna com recado.
  • Em Maio verás a água com que regarás.
  • Em Maio, a quem não tem basta-lhe o saco.
  • Em Maio, ainda os bois estão oito dias ao ramalho.
  • Em Maio, as cerejas leva uma a um o gaio; em Junho a cesta e o punho.
  • Em Maio, nem à porta de casa saio.
  • Em Maio, o calor de todo o ano dá valor.
  • Em Maio, o rafeiro é galgo.
  • Em Maio, onde quer eu caio. 
http://pt.wikipedia.org/wiki/Maio
http://escavar-em-ruinas.blogs.sapo.pt