1

1
Painéis de azulejos da Nazaré e Alcobaça na Estação Caminho de Ferro e praça principal, do Valado dos Frades!

sábado, 16 de novembro de 2013

Pyrex


Anúncio muito simples para uma "novidade revolucionária", hoje...quase obsoleta!
Tempos diferentes...diferentes em tudo!

Hélio Matias

sábado, 9 de novembro de 2013

Bater Água


Dum modo geral, todos os trabalhos agrícolas têm uma maior ou menor dificuldade e são esforçados.
No entanto o bater água, é talvez um dos mais (ou o mais) violento!
O rio da Areia corre acima do nível das terras, e como na época do Verão leva geralmente pouca água, é necessário fazer com que esta chegue às culturas hortícolas que junto às suas margens se desenvolvem.
Então, os agricultores frente à sua terra, preparam o leito do rio fazendo um pequeno buraco que funciona de reservatório e junto da margem organiza-se um género de tabuleiro em terra, onde é despejada a água, que depois corre através de uma "regadeira" (rego) ao longo da terra até chegar junto das culturas, onde alguém conduz a água para as regar.
A questão que se coloca, é como fazer chegar a água a esse tabuleiro?!
Um ou dois homens, munidos de cabaços, metem-se dentro do rio, e em movimento cadenciado  enchem-nos e elevam-nos para despejar no referido tabuleiro.
Ora esta cadência tem de ser bastante forte de modo a garantir um caudal tanto quanto possível uniforme.
Para que o "ânimo" não esmoreça...este trabalho é acompanhado com uma cantilena de sentido diverso.
Face ao exposto, podemos avaliar do esforço exigido!
O desenho (não há nenhum documento fotográfico), é da autoria dum artista naif Valadense, Joaquim dos Santos Ferreira, de quem falarei um dia destes.
Um trabalho quase desconhecido...até surgirem os motores de rega ou...tenham acabado com a agricultura!


Canção recolhida por F. Giacometi e música de Lopes Graça, cerca de 1973, concretamente nos campos do Valado.

Hélio Matias.
 

Caldo de Galinha

 
Em 1960 este anúncio aparecia assim...a preto e branco...sem alternativas...era uma delícia e...as donas de casa suspiravam por ele!
Hoje com a profusão da escolha...o colorido e...a pressão da comunicação social!!!...
...Hoje todos suspiramos por uma autêntica CANJA DE GALINHA...CASEIRA!
Onde está ela?!

Hélio Matias

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Clube Recreativo Beneficente Valadense

Estandarte já com alguns anos do Clube


O Clube surgiu em 25 de Dezembro de 1925.
Não há dados concretos do que foi a vida desta colectividade entre 1925 - 1933, sendo no entanto certo que ainda não teria uma sede própria e definitiva.
Em 1930 foi alugada uma casa a Victor Machado uma sala com cerca de 100 m2, com um palco e um bufete exterior - esta é a primeira sede.
É também por esta data que surgem os símbolos, a bandeira e o emblema, sendo da tradição que o leão e o vermelho foi o modo de agradar aos sportinguistas e benfiquistas.
Em 31 de Março de 1933, os Estatutos do Clube, foram aprovados em Assembleia Geral, e em 10 de Abril do mesmo ano foram sancionados pelo Governo Civil.
Em 27 de Dezembro de 1933, surgem os primeiros cartões de sócios...o Clube estava definitivamente "lançado".
Houve depois ao longo da sua história períodos de grande fulgor que se cruzaram com outros de grande dificuldade.
De qualquer modo construiu uma nova e bem apetrechada sede para a época.
Em 1957, a Inspecção Geral dos Espectáculos, por via duma exposição do Salão Familiar, inviabilizou o Clube de dar espectáculos por falta de condições.
Depois dum processo longo de discussão seguiu-se a construção duma nova sala - a actual.
O cartaz noticia o espectáculo que foi montado para promover a inauguração da nova sala, no dia 11 de Maio de 1958.
A estrela maior foi Maria de Lourdes Resende, "Grande Vedeta Internacional e Rainha da Rádio Portuguesa".

 
                              
Imagens de 1933, dum cartão de sócio do Clube, onde se referencia o bom gosto da sua feitura







 
 
 
O Clube delineou a sua actividade desde sempre entre as manifestações culturais que se estendiam fundamentalmente ao Teatro, Cinema e Baile.
Não passará hoje por grande vivência...mas esperemos que seja mais uma fase!
 

Convite para um baile, emitido em 1934!
 
Os elementos apresentados, encontram-se no livro 80 Anos do Clube, escrito por mim e Amadeu de Matos Carvalho.
 
Hélio Matias

Abrir Porta da Escola

Em pleno século XIX havia "gente" com pensamento muito positivo.
...O que hoje nem sempre acontece...em Portugal!

Hélio Matias